Inverno nos trópicos

Enquanto ele não vem, as revistas de moda e seus editoriais já trazem matéria falando das bijus do inverno, sob um calor de 30 e muitos graus… Andreia Pimenta assina o editorial da Viver Fashion e de Londrina Karla Matida, dá nota na Wink, sobre nossa coleção.

Esta semana estamos na TM Fashion em SP; os representantes já estão com nosso mostruário em atendimento nas principais capitais de país, e depois de SP estaremos em atendimento com hora marcada em showroom em BH.

Agende-se se você é lojistas, se for consumidor, espere o inverno chegar… quando o carnaval passar, que logo depois as lojas já estarão com novo lançamento.

O tema da coleção são as mulheres, não qualquer uma, mas as INCOMUNS!

3Bits, Mary Design e AuDITIONS 2012

A agência 3Bits acaba de criar a caixa comemorativa da AuDITIONS 2012. Com o tema Brasilidade, a caixa contêm,  pepitas de ouro, castanhas do Pará, penas, sementes, pedras e um relicário Mary Design, com um pendrive em seu interior.

 

Além de nossa coleção, desenvolvemos coleções exclusivas para outras marcas e também brindes comemorativos.

Além das bijus

O caderno Pandora, este fim de semana, da amada Natália Dornelas, fala do tema, onde designers  e moda fazem parceria.

 

Nosso mais novo trabalho é a identidade visual das vitrines das lojas da Água Fresca. Traduzir o conceito da marca, exposição dos produtos, tema da coleção, é função de uma boa vitrine. Promover o encantamento e a entrada dos passantes na loja, outra intenção. O tema da coleção é a obra da Chiquinha Gonzaga, todo o material usado foi pensando  musicalmente. O amor que ela tinha pelo que fazia foi outro ponto forte.

Notas musicais e partituras, compõe o universo da vitrine. Máscaras filigranadas, requintadas, falam de um “abre alas, que eu quero passar”, mas também podem falar do amor…

 

 

 

 

A coleção de bijus exclusivas, une todos estes pontos, broches de mini violinos com pérolas e flores, corações com cifras musicais, chaveiros sonhadores e etiquetas para viagem, falam de uma mulher à frente do tempo, e que nos conduz ao sonho.

 

 

 

Curativos que adornam

Há mais ou menos 2 anos, o arquiteto Carlos Solano me pediu para criar um projeto, que envolveria também outros artistas e designers da cidade, em que cada um adotaria uma árvore com uma intervenção, assim, destacaríamos árvores centenárias, chamando atenção pras mesmas e pro verde. Projeto este que não foi pra frente, como muita coisa no Brasil,  por falta de verba e investidores.

Curativos qua adornam

Foi o tema que escolhi pra minha instalação.
As palavras, bálsamo e cura, logo vieram à mente, daí nasceu o projeto “Curativos que adornam”.  A função destes curativos, seria chamar a atenção dos transeuntes, para que olhassem para as árvores. Elas ali nas calçadas e ruas, imensas, esculturais e muitas vezes despercebidas. Os fios que usaríamos seriam todos reciclados, um resto de cadarço que sobrou daqui, outro acolá, um colar que não deu certo, outro que puxou fio, mostruários de cor que recebemos a cada estação de fornecedores. Sobre os fios de tecidos coloridos, símbolo de nossa marca, gazes, como a proteger feridas, como a causar desconforto. No alto das árvores, pendentes de fatias de ágata natural, cairiam como frutos, lembrando também que a ágata fatiada tem veios similares aos da madeira. Ágata, esta, que daqui milhares de anos será madeira petrificada.


Pequenas palavras gravadas em metal, deveriam ser anexadas aos curativos: curar, cuidar, zelar, tratar,  podar, regar, como  intenções no cuidado com a natureza.

Desde sexta feira, Val, Josi, fiel escudeiras, e eu, estamos às voltas com uma árvore que mora em frente ao nosso showroom na Serra. Este projeto me veio à mente este ano e uma vontade imensa de executá-lo bateu em mim.

 

Se não posso fazer em muitas árvores da cidade, como prezava o projeto, posso pelo menos fazer no jardim da minha segunda casa…

E para surpresa dos transeuntes desavisados, a instalação ganhou a rua, à disposição de quem quiser visitá-la.


E se me perguntarem, quanto tempo durará? Não saberei responder, mas espero que o suficiente para sensibilizar quem a conheceu, ouviu falar, tocou, sentiu.

Como apareceu espontaneamente, também poderá desaparecer.
É como plantar árvores para que outros colham os frutos.